Due diligence trabalhista: o que é, como funciona e quais os tipos mais comuns?

O due diligence trabalhista é uma estratégia fundamental para que uma empresa seja capaz de controlar ou minimizar os seus riscos. Essa pode ser a solução de que uma organização necessita para minimizar ou evitar a ocorrência de problemas legais.

Leia este conteúdo para entender melhor no que exatamente consiste o due diligence trabalhista, como ele funciona no campo prático, quais são os outros tipos desse serviço e as vantagens adquiridas pela companhia. Confira!

O que é due diligence trabalhista?

É um processo em que são analisados os documentos, os regulamentos, os procedimentos e as rotinas internas que estão ligados às relações trabalhistas ou a prestações de serviços feitas no negócio. Ao fazê-lo, a organização conseguirá verificar se está de acordo com a legislação trabalhista, previdenciária e de segurança, higiene e medicina do trabalho.

Como funciona e para que serve o due diligence?

Na prática, a empresa conta com o apoio de consultores que têm conhecimento técnico e experiência em prestar esse serviço. Os profissionais identificarão potenciais riscos, pontos de melhorias e aperfeiçoamentos que podem ser aplicados no negócio.

Muitas vezes, uma companhia deixa de cumprir as suas obrigações trabalhistas ou infringe a lei pela falta de conhecimento no assunto. Entretanto, o negócio ainda pode sofrer com problemas perante a justiça. O due diligence tem como principal objetivo a prevenção dessas questões legais.

Ressalta-se que não há uma norma brasileira que trata do assunto. Isso significa que os consultores podem desenvolver o processo mais adequado para atender às necessidades do seu negócio.

Quais são os tipos mais comuns de due diligence?

Além da trabalhista, as principais áreas do due diligence são:

  • compliance: o seu objetivo é evitar que a empresa cometa ou possa ser acusada de cometer algum ato ilícito;
  • fusões e aquisições (M&A): examina todos os atos relacionados à absorção de uma empresa por outra;
  • ambiental: analisa o cumprimento das leis ambientais. Esse serviço pode ser útil para qualquer organização que gere impacto ambiental ou que firmará negócios com uma companhia com essa característica;
  • tributária: estuda a empresa para evitar dívidas tributárias e outros problemas relacionados;
  • imobiliária: os profissionais verificam se há impedimento para a aquisição de um imóvel;
  • de terceiros: são inspecionados aspectos contábeis, financeiros, trabalhistas, tecnológicos, jurídicos e outros temas de parceiros comerciais.

Quais são os benefícios dessa estratégia?

Investir no due diligence trabalhista proporciona vários benefícios que ajudam no desenvolvimento da empresa. Entre eles, estão:

  • diminuição de multas administrativas: as obrigações serão cumpridas de acordo com a lei, eliminando a imposição de multa em eventual fiscalização;
  • redução de processos: são evitados problemas internos que possam gerar eventuais processos trabalhistas;
  • facilitação da defesa: como a empresa está dentro da lei, ela conseguirá fazer uma melhor defesa perante reclamatórias trabalhistas;
  • melhores contratações: o serviço também pode ser usado para identificar candidatos com mais facilidade para se integrar à organização, além de evitar os que se envolveram em fraudes, assédios e escândalos.

O due diligence trabalhista é uma tendência crescendo no mundo corporativo e isso ocorre pelos amplos privilégios que são proporcionados ao negócio. Para usufruir de todos esses benefícios, é fundamental contratar profissionais especializados.

Agora, compartilhe este material nas suas redes sociais e informe outros profissionais ou gestores sobre o assunto!

0 comentários

Categorias

Receba nossos conteúdos por email.

Guia sobre EFD-Reinf para empresas