5 principais indicadores financeiros que você deve conhecer

Acompanhar indicadores financeiros é crucial para ter uma visão clara, ampla e concreta sobre a situação da empresa. Em suma, eles são métricas que trazem informações sobre o resultado financeiro gerado pelos ativos de uma organização, aferindo a sua posição atual ao mesmo tempo em que tentam antecipar o seu futuro.

Existem vários indicadores que podem ser aplicados pelo gestor do negócio. No entanto, neste material, trouxemos os que devem ser monitorados por empresas de qualquer ramo e porte! Boa leitura!

1. Ticket médio

Relacionado à área comercial, o seu objetivo é demonstrar quanto a empresa fatura por cliente, ou seja, qual é o total de recursos gastos por cada consumidor no seu negócio. Sua fórmula é a seguinte:

Ticket médio = faturamento total/número de vendas do período

Ele pode ser usado de acordo com cada produto, serviço ou categoria de itens, sendo útil para realizar um planejamento de vendas. Por exemplo, ao utilizá-lo, você entenderá se é mais vantajoso aumentar o ticket médio ou investir na aquisição de novos clientes.

2. Margem de contribuição

A margem de contribuição mostra quanto do preço do serviço ou produto será destinado para arcar com as despesas do negócio e gerar lucro. Veja como calculá-la:

Margem de contribuição = valor de venda unitária – (custo variável por unidade + despesa variável por unidade)

Quando esse indicador estiver muito baixo, a empresa estará mais suscetível a ficar no vermelho no final de cada mês. Há diferentes estratégias que podem ser adotadas para superar esse problema, como aumentar a quantidade de vendas ou elevar a margem de contribuição.

3. Ponto de equilíbrio

Também chamado de break even point, trata-se do quanto a empresa precisa vender para igualar a receita líquida às despesas e aos custos, resultando em um lucro líquido igual a zero. Conheça a sua fórmula:

Ponto de equilíbrio = despesas e custos fixos/margem de contribuição

Esse indicador financeiro serve como referência para que o gestor saiba quando o negócio começará a dar lucros. Caso o ponto de equilíbrio esteja muito distante (demandando muitos meses), será necessário melhorar a capacidade produtiva da empresa para adiantá-lo.

4. Lucratividade

A lucratividade é um percentual que mostra a rentabilidade do negócio, demonstrando quanto ele efetivamente ganhou após arcar com estrutura, mão de obra, aquisições, entre outros custos e despesas. Ela é calculada da seguinte forma:

Lucratividade = lucro líquido/vendas

Não confunda esse indicador com o lucro. Enquanto a lucratividade é um percentual que revela a eficiência operacional da empresa, o lucro é o dinheiro, de fato, que sobrou ao proprietário, acionista ou sócio.

5. EBITDA

EBITDA é uma sigla para Lucros antes de Juros, Impostos, Depreciação e Amortização (LAJIDA, em português) e é um indicador financeiro que mostra se os ativos operacionais estão gerando caixa.

Tal métrica é considerada pelos analistas financeiros o melhor indicador de geração de caixa operacional, pois entram em seu cálculo somente os resultados operacionais que afetam o caixa, desconsiderando-se as despesas e receitas operacionais, como a depreciação, amortização e exaustão, o resultado de equivalência patrimonial, as despesas e receitas financeiras, as outras receitas e despesas operacionais não rotineiras e, também, os impostos sobre o lucro (Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro Líquido – CSLL).

Veja seu cálculo:

EBITDA = lucro operacional líquido + depreciação + amortização

Muitas vezes, o gestor acredita que o negócio está indo bem, mas acaba sofrendo problemas financeiros no final do mês. Com a aplicação dos indicadores financeiros, entretanto, você terá informações reais sobre o empreendimento e poderá tomar as melhores decisões para garantir o equilíbrio das contas e o desenvolvimento saudável da empresa.

Gostou do nosso conteúdo? Assine a nossa newsletter e receba as nossas novidades diretamente na sua caixa de entrada! 

0 comentários

Categorias

Receba nossos conteúdos por email.